SÃO PAULO - O Ministério da Educação (MEC) informou na manhã desta terça-feira, 1º, que vai recorrer da decisão da Justiça Federal do Ceará que decidiu anular, para todo o Brasil, 13 questões do Exame Nacional do Ensino Médio 2011 (Enem). Segundo o MEC, a decisão é 'desproporcional e arbitrária' e vai recorrer no Tribunal de Recife ainda esta semana.
A Justiça Federal do Ceará decidiu na noite desta segunda-feira, 31, anular as 13 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que vazaram para os alunos do colégio Christus, de Fortaleza, Ceará, antes da avaliação.
As perguntas estavam em apostilas distribuídas pela escola semanas antes da aplicação do Enem e vazaram da fase de pré-testes do exame.
O Ministério Público Federal (MPF) queria a suspensão do exame nacional no Brasil todo ou a anulação das 13 questões. Já o Ministério da Educação (MEC) queria nova prova apenas para os 639 concluintes do ensino médio do colégio Christus, de Fortaleza.
O ministro da Educação, Fernando Haddad, que participou do programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira, considerou positiva a decisão, porque afastou a possibilidade de cancelamento total da prova.
'Neste ano, a decisão é muito mais sóbria', disse o ministro, que no entanto indicou que pretende pedir um recurso para que apenas os alunos da escola que teve acesso às questões tenham que refazer o exame. 'No nosso entendimento, o Inep deve encaminhar um recurso porque trata-se de uma situação isolada e que pode ser circunscrita.'/ COM INFORMAÇÕES DE BRUNO SIFFREDI, DO ESTADÃO.COM.BR

Fonte:http://estadao.br.msn.com/