quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Após temporal, Cantareira sobe pela primeira vez após oito meses


Nível do Cantareira subiu após as chuvas que atingiram SP nos últimos dias 

Depois das fortes chuvas dos últimos dias, o nível do sistema Cantareira subiu nesta quarta-feira (24). Segundo dados da Sabesp, o reservatório opera com 7% de sua capacidade. Na terça-feira (23), era 6,7%.
A última vez na qual a régua do manancial não registrou queda nem permaneceu estável em relação ao dia anterior foi em 16 de abril.
Desde então, a ampliação ocorreu apenas de forma artificial, por causa do bombeamento das águas do volume morto para as suas represas.
O sistema é responsável pelo atendimento de 6,5 milhões de pessoas -no início da crise, eram 8,8 milhões.
No Cantareira, choveu 140 mm neste mês até agora sendo que a média história é de 220,9 mm.
Os reservatórios do Alto Tietê e Guarapiranga também tiveram alta nesta quarta. O primeiro passou de 10,5% de terça para 11,1% agora enquanto o segundo subiu de 36,6% para 38,3%.
Os mananciais Rio Grande, Rio Claro e Alto Cotia também tiveram alta nos índices. Apesar disso, a Sabesp pede que a população continue colaborando com a economia de água e evitando o desperdício.
PREVISÃO
A chuva deve continuar nos próximos dias, mas de maneira mais moderada do que foi nos últimos dias. Nesta quarta-feira, haverá apenas chuviscos isolados e as temperaturas devem oscilar entre 16,6ºC e 23ºC.
Na quinta-feira (25), o sol aparece entre nuvens e a previsão de pancadas isoladas de chuva. Na sexta (26), a previsão é de sol e temperaturas em elevação podendo chegar a 29ºC. No final do dia, no entanto, devem ocorrer pancadas de chuva.
TAXA EXTRA
Em meio à estiagem e com os principais reservatórios sob risco de colapso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu na semana passada cobrar sobretaxa na conta de água dos "gastões", como o governador paulista chama os que desperdiçam.
A medida afetaria aqueles que ampliarem o consumo de água em relação à média de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014, mas só valerá depois de uma audiência pública marcada para o final do mês pela Arsesp (agência reguladora estadual de saneamento).
Pela proposta, quem tiver um aumento de consumo igual ou menor que 20% em relação à média terá acréscimo de 20% na conta. Já os consumidores que gastarem acima de 20% em relação a sua média terão ônus de 50% na conta. 

Fonte: folha de SP

0 comentários:

Postar um comentário

VIDEOS

Loading...