quarta-feira, 5 de março de 2014

Comissão Europeia anuncia ajuda de US$ 15 bilhões para a Ucrânia


Presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, anuncia ajuda de US$ 15 bilhões para Ucrânia Geert Vanden Wijngaert / AP
BRUXELAS — Um dia antes de uma reunião de cúpula europeia extraordinária dedicada à crise na Ucrânia, a Comissão Europeia apresentou, nesta quarta-feira, um plano de ajuda de pelo menos 11 bilhões de euros para o país (cerca de US$ 15 bilhões). O programa, que inclui medidas de curto e médio prazo nas áreas comercial, econômica, técnica e financeira, poderá ser completada pelos Estados membros da União Europeia. 

— A Comissão Europeia identificou um programa de ajuda para a Ucrânia. Esta é nossa contribuição à reunião de cúpula de chefes de Estado e de Governo de quinta-feira. No total, o pacote pode chegar a pelo menos 11 bilhões de euros nos próximos dois anos, que sairiam do orçamento da União Europeia e das instituições financeiras europeias — declarou o presidente da comissão, José Manuel Durão Barroso.
A assistência será feita em uma ação coordenada com o Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento e com o Banco Europeu de Investimento, e depende em parte de a Ucrânia assinar um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI).
Para coordenar os esforços de apoio da comunidade internacional, a comissão propôs a criação de um “mecanismo especial de coordenação de doações” que a UE está disposta a gerenciar. A Comissão prevê 1,6 bilhão em empréstimos, 1,4 bilhão em doações, sendo 600 milhões nos próximos dois anos, 3 bilhões do Banco Europeu de Investimentos (BEI).
Um dia antes, o secretário de Estado americano, John Kerry, anunciou um pacote econômico e assistência técnica para a Ucrânia, em uma demonstração de apoio ao novo governo interino em meio à escalada das tensões com a Rússia. Segundo funcionários do alto escalão, a ajuda totaliza US$ 1 bilhão.
Bens congelados
Paralelamente, a União Europeia anunciou nesta quarta-feira o congelamento de bens de 18 pessoas consideradas responsáveis pela malversação de fundos públicos na Ucrânia. Os 28 ministros do Exterior dos países que compõem a UE aprovaram a lista, cujos nomes serão divulgados somente na quinta-feira.
O congelamento de bens dessas 18 pessoas ficará vigente por 12 meses. Os nomes não foram anunciados antes para evitar que retirem seu dinheiro antes da medida entrar em vigor.
As sanções incluem disposições para facilitar a recuperação dos fundos pelo novo governo de Kiev, de acordo com condições apresentadas pelo bloco.
Suíça e Austrália adotaram medidas semelhantes na semana passada.

Fonte: oglobo.globo.com/rio

0 comentários:

Postar um comentário

VIDEOS

Loading...